SUCULENTAS

Um dos cultivos mais populares atualmente é o de suculentas. Extremamente fáceis de serem cultivadas, exigem cuidados mínimos até mesmo quando se referem a rega.


Em um mundo onde todos têm seu tempo totalmente preenchido com rotinas corridas e exigentes, as suculentas se encaixam perfeitamente nesta dinâmica. Realmente se tornaram as plantinhas da atualidade, podendo ser facilmente cultivadas e colecionadas. 


Por haver uma infinidade de tipos de suculentas, os cuidados também podem variar um pouco, nesse caso descrevemos padrões e dicas generalizadas para quem esteja iniciando esse cultivo. Dessa forma, com o tempo, os cuidados podem ser melhorados através da experiência, e ao se observar os sinais que as plantas podem nos dar demonstrando suas necessidades mais específicas. Considere aqui apenas o início do aprendizado sobre essa vasta família de plantas que ganha cada vez mais espaço no nosso cotidiano. 

  • SOLO

O solo deve conter uma boa drenagem, isto quer dizer que a água nunca deve ficar acumulada. Mesmo quando regamos em abundância, temos que perceber que a água escoa por completo mantendo o solo apenas úmido, e não encharcado.

 
Para auxiliar nessa tarefa aconselhamos o uso de pedras, argilas expandidas ou até mesmo cacos no fundo dos vasos. Essa prática faz com que a água desça para essa camada sem ficar acumulada na terra onde se encontram as raízes das mudas. Se o plantio for no chão não é necessário fazer essa camada no fundo da cova, porém aconselhamos que a cova de plantio seja no mínimo o dobro do tamanho do torrão da planta, completando com terra vegetal de qualidade e rica em matéria orgânica. 


Uma observação a ser feita é que o solo onde se encontram as suculentas não deve estar compactado. Com a terra fofa e airada as raízes das mudas irão se desenvolver com muito mais facilidade, acelerando seu crescimento. 

  • REGAS

As suculentas, em sua maioria, exigem regas bem espaçadas, se limitando a 1 vez por semana. Claro que pode haver variação nesta frequência considerando as estações do ano e a incidência de sol (quanto mais sol, mais regas serão necessárias). Suculentas em ambientes internos, em sombra total, podem chegar a receber água apenas 1 vez ao mês e se manterem saudáveis e bonitas. 


A característica principal dessa família são as folhas “gordinhas” mostrando que conseguem armazenar água por um longo período sem prejudicar sua saúde. 


O conselho básico é que sempre se aguarde o solo secar para receber a próxima rega, para não haver excesso de umidade nas raízes. 


Como a umidade do solo pode variar de acordo com a época do ano – épocas mais frias o solo vai demorar mais para secar – sempre aconselhamos uma técnica simples e muito eficaz: tocar o solo com os dedos para ver se ainda está úmido. Se ainda estiver úmido da rega anterior, não precisa regar naquele momento. 


Quando há excesso de água as folhas costumam ficar amareladas e até apodrecidas (moles e se soltando do caule). Quando há falta de água as folhas ficam murchas e enrugadas (um instinto natural das plantas é fechar as folhas ou murchar para impedir parte da transpiração, conservando a umidade ainda existente). 


A rega deve ser feita sempre no período da manhã, afinal as raízes das plantas absorvem a umidade em abundância apenas das 10 da manhã as 2 da tarde. Após esse horário aconselhamos a rega apenas se a mesma não tiver ocorrido no período da manhã, não se tornando uma prática frequente considerando que não é a opção mais saudável para as mudas.
 

O grande diferencial de um jardim de sucesso é o entendimento das pessoas que o cultivam. É imprescindível compreender que as plantas são seres vivos, e que possuem necessidades específicas que devem ser respeitadas. 

  • PLANTIO EM VASOS OU NO CHÃO

Em vasos devemos entender que todos os nutrientes e até mesmo a água serão adicionados pelo cuidador das mudas. Ou seja, as regas e a adição de adubos se fazem fundamentais uma vez que não há possibilidade das plantas buscarem os mesmos de forma independente, a não ser que você os adicione. 


No chão há necessidades menores de cuidados diários, já que as mudas têm espaço ilimitado para se desenvolver buscando seus nutrientes e umidade de modo mais independente. Claro que isto pode ser bem variável pensando que há solos totalmente pobres que ainda sim precisarão de dedicação para transformá-lo em um ambiente propício para as mudas.

 

No caso das suculentas ainda há uma outra questão a ser pensada: no chão, em épocas de chuvas frequentes, poderá haver encharcamento e consequentemente podridão das mudas cultivadas, enquanto no vaso há a possibilidade de abriga-las nesse período evitando perdas por excesso de umidade no solo. 

  • COMO PLANTAR

Uma das poucas opções de plantas que podem ser plantadas em cachepos ou outros recipientes sem drenagem, é a suculenta. O único cuidado neste caso é controlar a rega minuciosamente, sendo suficiente apenas umedecer o solo (com ajuda de borrifadores, regadores de bico fino e até colheres de água), sem deixar que haja qualquer encharcamento (já que não haverá furos para que a água saia do recipiente, o acúmulo de água acaba trazendo o excesso de umidade o que ocasiona na podridão das raízes rapidamente). 


Seu plantio é extremamente vasto, o que tem deixado os colecionadores apaixonados: além da variedade surpreendente de cores e texturas, elas podem se adaptar a espaços bem pouco exigentes, deixando a imaginação do cultivador livre para criar combinações únicas e especiais. 


Um outro incentivo para que as suculentas tenham sucesso nos jardins é o fato de se multiplicarem facilmente (em sua maioria). Uma boa parte delas se proliferam através de pequenas partes de sua estrutura que ao serem deixadas sobre o solo, mesmo sem raízes, conseguem virar novos brotos sem qualquer esforço por parte do cultivador.


No caso de plantios em vasos de barro natural (cerâmica sem pintura) há uma vantagem: o barro suga a umidade da terra, o que impede o encharcamento do solo onde as mudas estão inseridas. 


Justamente pela versatilidade no cultivo as suculentas podem ser plantadas em qualquer material, com pouco espaço ou não, se adaptando até mesmo em recipientes criados para outros fins, como xícaras, taças, copos, quadros vivos, vidros e outros. 


Neste cultivo a exigência mais importante é usar a criatividade!

  • INCIDÊNCIA DE SOL
     

As suculentas são muito variadas, assim como suas necessidades de incidência de sol. Temos espécies que se adaptam desde a sombra total (havendo claridade natural) até ao sol pleno.


Através de anos de experiência observamos que as suculentas verde escuro resistem muito mais a sombra que o restante. Enquanto as que possuem cores mais azuladas e acinzentadas exigem mais sol. 


As suculentas adaptadas ao sol, que recebem pelo menos 3 horas de incidência diárias, adquirem cores rosadas e avermelhadas em algumas partes. Esse é um processo muitas vezes chamado de “estresse da planta” que faz com que mude sua coloração justamente pelo contato significativo com os raios de sol. Não é algo que prejudique as mudas (provavelmente neste caso elas irão exigir regas mais frequentes) nos dando mais possibilidades de cores e texturas para combinações no jardim. 


Se suas suculentas não receberem sol o suficiente as mudas acabam ficando estioladas, isso quer dizer que ficam compridas justamente pela procura de mais sol (observe a competição das árvores da floresta, quem é mais alto – mais comprido – recebe mais sol e consequentemente se desenvolve melhor e com mais força, ou seja, esse é um instinto natural das plantas). Sabemos que a planta está estiolada quando a distância de uma folha para outra é maior que o esperado. 


Caso suas suculentas estejam recebendo sol em excesso algumas folhas podem ficar queimadas. As queimaduras de sol são marrons e secas, normalmente iniciando na ponta das folhas para o centro. 

  • ADAPTAÇÃO DAS PLANTAS

Uma observação muito importante é que as plantas são seres vivos, e assim como nós podem se adaptar a locais e cuidados diferentes das regras de cultivo padronizadas. Nesse caso não há regras 100% inquestionáveis quando se trata de cultivos. O interessante é iniciar os primeiros plantios seguindo um padrão, para que haja sucesso, mas ficar atento aos sinais que as plantas podem nos dar para que nos adaptemos as suas necessidades.


Plantas cultivadas no sol irão sentir caso sejam colocadas na sombra total de modo imediato. Assim como plantas na sombra sentirão bastante caso sejam colocadas sob o sol pleno sem um período de adaptação. Nesse caso as mudanças de ambientes devem ser feitas de forma gradativa para que evitemos reações negativas das mudas.

© 2014 ECO Casa e Jardim Ltda ME

Av. Comendador Antonio Borin, 5776  Esq. com a Nami Azem. Bairro Caxambu - Jundiaí - SP 
 

contato@ecocasaejardim.com.br

(11) 4584-2655
(11) 95978-8436 

Aberto aos finais de semana!
De Terça a Sábado das 08h00 as 18h00
Domingos e Feriados das 09h00 as 13h00

 

*não abrimos as segundas-feiras